07/12/2016

Receitas de Natal: bolachas de baunilha

Alguém pediu bolachas deliciosas sem açúcar refinado, sem glúten e sem ingredientes de origem animal? A Audrey do Unconventional Baker tem a receita perfeita: pegue nos cortadores de biscoitos com temas natalícios e anime a sua cozinha com o cheirinho doce da baunilha.

Tanto a receita como a imagem pertencem ao Unconventional Baker.


Ingredientes:

½ copo de manteiga vegana à temperatura ambiente ou óleo de coco (que não esteja duro);
½ copo de xarope de ácer (ou outro adoçante que seja líquido);
½ colher de chá de extracto puro de baunilha (se não conseguir encontrar puro coloque mais);
½ de raspas de uma vagem de baunilha;
Uma pitada de sal;
2¼ copos de farinha sem glúten.


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Coloque a manteiga numa batedeira e mexa bem até que fique cremosa. Adicione o adoçante, o sal, o extracto e a vagem de baunilha e combine tudo até ficar bem misturado.
Acrescente a farinha e use uma colher de pau para misturar.
Use as mãos para trabalhar a massa até conseguir formá-la numa bola. Certifique-se que molda bem a massa e, se necessário, acrescente um pouco mais de farinha (se estiver muito pegajosa) e um pouco mais de adoçante (caso estiver seca).
Molde a massa em duas bolas e achate-as.
Estenda uma das bolas entre duas folhas de papel vegetal até obter a espessura que mais ou menos desejar.
Use um cortador de biscoitos para cortar as bolachas.
Com extremo cuidado, transfira-as para um tabuleiro forrado a papel vegetal, deixando um ligeiro espaço entre elas.
Reúna todos os restos da massa usada e repita o processo até que esta se esgote. Faça o mesmo com a segunda bola.
Deixe no forno durante onze a treze minutos ou até bordas começarem a ficar douradas.
Retire-as do forno e deixe-as descansar numa grelha de arrefecimento. Assim que ficarem frias já pode servi-las :)

Nota: As bolachas endurecem assim que começam a arrefecer, pelo que não deve voltar a colocá-las no forno.

30/11/2016

Condicionador de corpo Snow Fairy

Quem adora a Lush sabe que o Snow Fairy é bastante aguardado nesta época do ano: um exclusivo da época natalícia, é conhecido pelo tom rosa cheio de brilho. Depois do gel de banho, foi lançado o condicionador para o corpo — e assim que tive oportunidade levei um pote para casa.


Para quem aprecia fragrâncias doces é o produto perfeito. Dentro do frasco o cheiro é quase imperceptível, mas após ser espalhado no corpo inunda-nos as narinas com um aroma a algodão doce. Só temos de usá-lo na pele limpa e molhada, deixar actuar uns minutos, enxaguar e já está.
Tem óleo de amêndoas, óleo de jojoba. manteiga de manga e manteiga de abacate, pelo que a hidratação não é deixada de fora. O cheiro permanece na pele o dia todo (e consegue aguentar até ao dia seguinte), pelo que nem é preciso usar perfume 😊

Custa 8,95€ (100 gramas) ou 19,95€ (250 gramas) e pode ser comprado nas lojas físicas Lush ou online.

19/11/2016

Dicas veganas para travar a queda do cabelo


Existem infinitos factores que provocam a queda de cabelo, desde a mudança da estação de ano, o stress, poluição, má alimentação, entre outros — e existem infinitos produtos, de infinitas marcas, específicos para o problema. O pormenor é que imensas dessas marcas testam em animais (L'Oréal, Pantene, Vichy, Innéov, La Roche-Posay, Kérastase, etc.), pelo que é necessário buscar por alternativas que não envolvam exploração de seres sencientes. Eis algumas:

14/11/2016

Estudo mostra que uma dieta vegana melhora a dor da neuropatia diabética e reduz o peso*



A neuropatia diabética  é um distúrbio nervoso causado pela diabetes. Enquanto algumas pessoas são assintomáticas, outras experimentam dores, formigueiros e perda de sensibilidade, principalmente nas mãos, pés, membros superiores e membros inferiores.
De acordo com uma pesquisa realizada em 2015, uma dieta vegetariana estrita e reduzida em gordura reduz a dor da neuropatia diabética.


*


«WASHINGTON, 25 de Maio, 2015 — Uma dieta estritamente vegetal reduz a dor causada pela neuropatia diabética, de acordo com uma nova pesquisa publicada hoje no Nutrition & Diabetes por investigadores com a cooperação do Physicians Committee, da California State University, da East Bay e da George Washington University School of Medicine and Health Sciences.

A neuropatia é uma complicação da diabetes que manifesta-se através da dor, dormência e de outros sintomas do foro nervoso. O estudo piloto colocou 17 adultos sob uma dieta vegana, pobre em gorduras, durante vinte semanas e com aulas semanais de nutrição. Os investigadores encontraram francas melhorias na dor, que foi calculada a partir de um questionário da Short Form McGill Pain, numa avaliação física da Neuropathy Screening Instrument e através de uma contundência epidérmica electroquímica no pé. Os voluntários também perderam uma média de 6 quilos.

“Uma intervenção dietética reduz a dor associada à neuropatia diabética, aparentemente por melhorar a resistência à insulina”, referiu Neal Barnard, médico e presidente do Physicians Committee. “Esta dieta também provocou melhorias no peso e reduziu o colesterol e a pressão sanguínea.” 

60% dos doentes diabéticos sofrem com a neuropatia periférica, a qual é associada à hipertensão, obesidade, problemas ambulatórios, amputações, ansiedade, depressão e redução da qualidade de vida.

“Esta intervenção na alimentação é fácil de prescrever e simples de seguir”, disse Cameron Wells, M.P.H., R.D e director de nutrição educacional no Physicians Committee. “Aveia, folhas verdes e lentilhas encontram-se em quase todos os supermercados e são financeiramente acessíveis.”

De acordo com um estudo publicado no JAMA Internal Medicine, pacientes que recebem 5.5 minutos extra de aconselhamento nutricional do seu médico de família perdem cerca de 2 quilos, reduzem a ingestão de gordura saturada e melhoram o colesterol LDL.

Mais de 29 milhões de americanos têm diabetes*. Uma em cada três crianças nascidas em 2000 corre o risco de desenvolver diabetes.

O custo médio de vida para tratar a diabetes tipo 2 é de $85,200 [aprox. 73,000€], sendo que metade das despesas deve-se às complicações derivadas da doença.»


*Estima-se que em Portugal cerca de um milhão de portugueses sejam diabéticos e que mais de metade da população portuguesa (59,8%) sofra de excesso de peso.